MJFanForum
Cadastre-se agora no fórum com verdadeiro amor ao Rei e Anjo Michael Jackson! Material exclusivo e atualizado diariamente! Já nos conhece? Então faça o login e aproveite!

JULGAMENTO-As crianças e avó X AEG, acusada de colocar o dinheiro acima da saude de Michael

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

JULGAMENTO-As crianças e avó X AEG, acusada de colocar o dinheiro acima da saude de Michael

Mensagem por izilda em Dom Jun 02, 2013 11:05 pm

Cerca de 100 potenciais jurados foram convocados para um tribunal de Los Angeles segunda-feira no embate legal entre a mãe de Michael Jackson e seus três filhos contra AEG sobre a morte do cantor pop.
Durante dias, os potenciais jurados foram convidados para determinar se eles poderiam passar até quatro meses depondo sobre o caso de homicídio culposo.

A mãe de Jackson e as crianças afirmam que AEG negligentemente contratou Dr, Conrad Murray, que deu ao cantor uma dose fatal do anestésico propofol na véspera do que seria a turnê de retorno de Jackson.

O processo alega que a AEG incansavelmente forçou Jackson para ensaiar "This Is It" tour, ciente de que o cantor não estava nem fisicamente nem mentalmente capaz de faze-lo.

AEG tinha adiantado a Jackson "somas substanciais de dinheiro" e ameaçou que se eles fossem forçados a cancelar a tour " haveria processos e a carreira de Jackson estaria acabada."

AEG, no entanto, afirma que foi Jackson que insistiu em levar Murray e que a gigante do entretenimento tinha sujerido um médico britânico.

O julgamento está previsto para mergulhar no sensacional - estilo de vida do cantor excêntrico, seu suposto uso de drogas, a sua enorme dívida e seu comportamento supostamente irregular, nos dias que antecederam a sua morte.

Testemunhas no julgamento poderia incluir celebridades como Prince, Diana Ross e Quincy Jones, assim como sua ex-esposa Lisa Marie Presley e Debbie Rowe.

O diretor Spike Lee eo ator Lou Ferrigno também estão entre as testemunhas listadas, assim como fundador AEG Philip Anschutz e seu ex-executivo-chefe, Tim Leiweke.

Advogados podem acrescentar ou retirar nomes de suas listas iniciais. Algumas testemunhas aparecerão através de testemunho nos depoimentos.

O ex-médico está falando, na véspera

-Minha abordagem inteira pode não ter sido uma abordagem ortodoxa, mas minhas intenções eram boas", disse à CNN. "Eu acho que sou a definição de um bode expiatório. Ninguém tomou quaisquer responsabilidades por tudo o que eles podem ter feito a este homem
O caso é provável virar para o sensacionalismo, colocando o imponente legado de Jackson contra uma empresa que teve uma , mas porque eu estava no lugar errado na hora errada, então aqui estou eu."
profunda influência sobre a cena do entretenimento, especialmente em Los Angeles.
Em documentos do tribunal, a família de Jackson descreve a AEG como uma máquina insensível, de dinheiro que levou Jackson para se preparar para uma turnê que ele não estava fisicamente capaz de realizar.
Um juiz da Corte Superior decidiu sexta-feira que não haverá cobertura televisiva ao vivo .

CNN e NBCUniversal Television Group tinha apresentado uma moção pedindo que eles fossem autorizados a televisionar o julgamento.

Em sua decisão, a juíza Yvette M. Palazuelos escreveu que enquanto a mídia tem o direito de cobrir audiências públicas, cabe ao juiz decidir se permite a cobertura televisiva.

Brian Panish, o advogado de Katherine Jackson, Michael Joseph Jackson Jr., Paris-Michael Katherine Jackson e Prince Michael Jackson II, não quis comentar.

Mas Panish apoiou cobertura televisiva em um 02 de abril quaando ele criticou o advogado da AEG por "fazer várias observações depreciativas sobre Michael Jackson", em uma entrevista à CNN.

O advogado da AEG, Marvin Putnam, não pôde ser contatado para comentar o assunto.

Um juiz da Corte Superior está prestes a decidir se alguns registros de finanças de Michael Jackson e histórico médico deve ser mantido fora da vista do público

O espólio de Jackson, que não faz parte do processo, por homicídio culposo, está solicitando que certas informações dos registros confidenciais sejam mostrado apenas ao juiz

Os advogados do espólio tem a intenção de olhar para as listas de testemunhas e depoimentos de especialistas para tentar mostrar quais materiais quer permanecer em sigilo.

"Três crianças amorosas perderam seu pai, uma mãe carinhosa e pai perderam seu filho, os irmãos Jackson perderam seu irmão, eo mundo perdeu o seu mais famoso entertainer", a denúncia no caso, disse.
Brian Panish, advogado da família Jackson, disse que ele tinha fé nos 12 jurados escolhidos e disse que era "um bom júri diversificado."

"Você pode conseguir ir em frente com suas vidas", disse o juiz da Corte Superior Yvette M. Palazuelos.
Talvez o momento mais estranho do júri ocorreu terça-feira quando o advogado da AEG Marvin Putnam disse que não iria estipular que Michael Jackson estava morto.
Com a injusta morte de Michael, os advogados argumentaram quinta-feira sobre uma série de questões, incluindo que para abrir os registros médicos da lenda da música eram impedidos por certos testemunhos de peritos.
"Nós não sabemos exatamente o que precisamos fazer para obter os relatos ", disse uma das advogadas da AEG, Jessica Stebbins Bina. Ela acrescentou que os registros são "relevantes para a causa de sua morte, a expectativa de vida e potencial de ganhos."
Kevin Boyle, um advogado da família Jackson, disse que ele não acha que os registros seria um componente importante, mas pode tornar-se relevante. "Todo o processo vai ser sobre a condição médica de Michael Jackson", disse ele.

O juiz Yvette Palazuelos ainda tem que emitir sua decisão final.

Os advogados também discutiram sobre exclusão dos pareceres de peritos.

Em seu depoimento, o Dr. Gordon Matheson, professor de Stanford da medicina esportiva, testemunhou que os conflitos de interesse financeiros afetam as decisões de cuidados médicos.

Uma advogada de defesa disse que não era realista para um artista que tinha muitos projetos fracassados, ter expectativas de ganhos de $269 milhoes em This is it e $ 50 milhoes em roupas."Essa é uma esperança, um sonho, disse ela.
Enquanto as tensões aumentam na sala do tribunal, os advogados discutem sobre equipamentos de áudio-visual que será utilizado durante o julgamento. Apesar dos protestos dos queixosos, Palazuelos informou ao tribunal que iria usar monitores fornecidos pela defesa.

Panish insistiu que sua empresa não tinha nenhuma razão para assumir qualquer do custo do equipamento, estimado em cerca de US $ 6.000 por mês.

"AEG tinha deveres legais com Michael Jackson de tratá-lo de forma segura e não colocá-lo em perigo. Mas AEG, apesar de seu conhecimento da condição física de Michael Jackson, violou os deveres, colocando o seu desejo de grandes lucros da turnê acima da saúde e da segurança de Michael Jackson ", alega a denúncia.
Além de membros da família de Michael Jackson e sua ex-esposas, Debbie Rowe e Lisa Marie Presley, advogados dos autores indicaram que poderia chamar pesos pesados da indústria musical Quincy Jones, Diana Ross e Prínce.

Nas audiências que antecederam o julgamento, a tensão tem sido alta no tribunal, com advogados trocando farpas e comentários pontiagudos.

"A estrela pop severamente, visivelmente doente, com uma história conhecida de problemas com drogas, um médico financeiramente desesperado que exigiu equipamentos médicos altamente incomum, salva-vidas e uma enorme pressão sobre o médico para garantir o desempenho do astro pop (em vez de seu bem-estar ), "os advogados da família Jackson escreveu em documentos judiciais.
"AEG deveria ter percebido que este era um cocktail perigoso."

A empresa de entretenimento, juntamente com executivos da empresa, argumenta que foi Jackson quem contratou Murray e insistiu com ele como seu médico em "This Is It" .

"O impasse básico vai ser Michael Jackson ser o autor de sua própria morte, contra, uma empresa que maximiza o lucro, ganancioso, mesmo comercial exercendo seu controle", disse Jody Armour, um professor de direito da USC.

A empresa AEG, é também umaempresa famosa por um dos contratos políticos mais importantes em Los Angeles, edifício LA Live e Staples Center e trabalhando com a prefeitura para a construção de um estádio de futebol no centro. Mas AEG entrou em crise durante meses, com proprietário Philip Anschutz colocá-la no mercado e, em seguida, assim como de repente puxá-la.

Brian Panish, o advogado que representa a mãe do cantor pop e os filhos, disse aos jurados em declarações de abertura segunda-feira que Jackson tinha desenvolvido um problema com medicamentos de prescrição e, por vezes, tornou-se "dependentes" das drogas.

Jackson, o advogado disse, também sofria de ansiedade que "se tornaram mais prevalentes quando ele estava passando por um cronograma rigoroso."

O problema da droga do artista, Panish disse, decolou em 1984, quando ele sofreu queimaduras de terceiro grau durante as filmagens de um comercial da Pepsi.

Enquanto Jackson só havia concordado em 50 datas de shows em Londres, AEG propôs uma turnê mundial de três anos em que uma venda de ingressos executivos estimados poderia ultrapassar US $ 450 milhões. A revista Billboard estima lucros da AEG teria atingido 115 milhões dólares para os shows em Londres, com Jackson ganhando US $ 1 milhão por noite.

De acordo com o contrato entre eles, AEG adiantgaria para Jackson perto de US $ 30 milhões, que inclui uma linha de crédito de US $ 15 milhões, um adiantamento de US $ 5 milhões, US $ 7,5 milhões para cobrir os custos de produção para montar os shows e aluguel de $ 100,000 por mês Holmby Hills mansão.

De acordo com o processo, se o cantor não consegui-se gerar dinheiro suficiente para pagar os empréstimos, AEG poderia apropriar seus bens, entre eles um catálogo valioso de música que inclui canções dos Beatles, Aretha Franklin e da família Jackson.

O advogado da família de Michael Jackson descreve AEG, Anschutz Entertainment Group como uma gangue de impiedosos executivos interessados ​​apenas em se tornar o número 1 do negócio de concerto e não se importando com o bem-estar do cantor.

Advogado Brian Panish começou seu discurso de abertura segunda-feira falando sobre o vício de Jackson aos medicamentos prescritos.

Ele também mencionou o Dr. Conrad Murray, o médico endividado que administrou a dose fatal de propofol para Jackson e mais tarde foi condenado por homicídio involuntário.

Panish disse, que completou o quebra-cabeça em 2009 sobre a morte de Jackson.

"Michael tinha um problema, Dr. Murray tinha um problema e AEG tinha um problema", Panish disse ao júri de seis homens e seis mulheres em um centro de Los Angeles tribunal segunda-feira.

"Você sabe qual era o problema da AEG ? Eles não eram o número 1 do show business, mas eles queriam ser ".

O advogado disse que a empresa queria explorar Jackson pegar até seu concorrente no ramo de concerto, Live Nation, a todo custo.

"Você não faz isso com luvas brancas", disse Panish. "Você faz o que tem que fazer, se você quiser ser o número um neste negócio áspero de promoções de shows."


"Não havia regras", Panish disse ao júri, quando ele veio para promover o sucesso da AEG. "Não importa o que ele tomava. AEG ... tinha um problema e eles queriam corrigi-lo e não se importavam com quem se perderiam . "

Utilizando slides e fotos, Panish citou e-mails entre os executivos da AEG que vieram à tona no ano passado como uma evidência da atitude. Em um deles, o Presidente da AEG, CEO Randy Phillips descreve que gritou com Jackson, a quem ele chamou de "uma bagunça emocionalmente paralisado", antes de uma entrevista coletiva.

"Esqueça ajuda ao Sr. Jackson", disse Panish. "O show tem que continuar."

O envolvimento de Murray só criou uma espiral descendente de Jackson, porque o médico "em condição péssima financeira ficou suscetíveis a pressão e criou um conflito entre as necessidades de seu paciente 'e as necessidades da AEG", disse Panish.


"Queremos lembrá-lo de que é a AEG, e não MJ quem está pagando o seu salário", disse um e-mail de Paul Gongaware, falando sobre Murray.

Em seu discurso de abertura, o advogado da AEG, Marvin Putnam, disse que Murray foi a escolha de Jackson e que os executivos da AEG não entendia por que o cantor quis levá-lo para Londres, onde havia um número de excelentes médicos.

Putnam disse que Murray trabalhou para Jackson e que os US $ 150.000 por mês que a AEG deveria pagar-lhe foi um adiantamento para Jackson, assim como eles tinham adiantado fundos para pagar outros custos de produção e sua mansão alugada em Holmby Hills.

Quando perguntado por um detetive LAPD dois dias depois da morte de Jackson para quem ele trabalhava, Murray respondeu: "Eu sou um empregado de Michael Jackson, mas pago pela AEG. Isso ajuda? "

Putnam também alertou para o que estava por vir durante o julgamento. Ele disse que havia um Jackson público e um privado Jackson, onde seus segredos estavam escondidos.

"Nós estamos indo para mostrar alguma coisa feia", disse Putnam. "É verdade."

Panish disse AEG alegou que tinha investigado Murray, mas não tinha, e que a AEG não sabia que o médico estava em profunda divida.

Panish mostrou ao júri um email do executivo da AEG, Randy Phillips para Kenny Ortega, diretor da turnê, depois que Ortega havia expressado preocupações sobre a condição de Jackson. Ele disse que este era apenas um exemplo da AEG podendo levantar uma "bandeira vermelha".

"Kenny, é fundamental que nem você, ou eu, ou qualquer pessoa ao redor do show se tornem psiquiatras amadores ou médicos. Tive uma longa coversa com o Dr. Murray, por quem eu estou ganhando imenso respeito por conseguir lidar com ele .... Este médico é extremamente bem sucedido, ele não precisa desse show, então ele é totalmente imparcial e ético. "

Na segunda-feira, cerca de uma dúzia de partidários de Jackson disputavam dois lugares disponíveis para o público através de um sistema de loteria.

Um lugar foi para a Samantha de Gosson, uma fotógrafa de 38 anos de idade, fãde Michael, de Pasadena, que disse que a oportunidade foi agridoce.

Eu estou feliz que eu posso ir, mas não ansiosa sobre o que vai ser dito", disse ela. "Este é um julgamento em que Michael Jackson será lançada sob o olhar por ambas as partes. Ele não é realmente sobre a justiça. É sobre quem vai ganhar dinheiro."

_________________

É tudo por amor.
avatar
izilda
Invincible
Invincible

Feminino Mensagens : 2226
Idade : 59
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum